Biografia: Robin Hobb

robin1

Margaret Astrid Lindholm, mais conhecida pelos leitores como Robin Hobb, nasceu em Oakland, em 1952, e passou a primeira década de sua vida na ensolarada Califórnia. No início dos anos 60, sua família deixou a periferia de San Rafael e se mudou para Fairbanks, no Alaska. A mudança de estilo de vida foi repentina e dramática. De supermercados e calçadas para uma estrada de pedrinhas e carne fresca. Lá ela aprendeu a caçar, pescar e a valorizar a companhia do seu bichinho de estimação, um híbrido de lobo e cachorro. Ainda desenvolveu habilidades necessárias para manter uma casa autossuficiente, como consertar encanamento, eletricidade e isolamento térmico. A família plantou um jardim enorme e construiu um galpão para estocar carne no quintal da casa. Durante o inverno, quando esse galpão não estava sendo usado para estocar carne de alce congelada, ele se tornou o seu primeiro estúdio de escrita.

Robin terminou o colegial ao 17 anos, em 1969. Depois de um breve período na Universidade de Denver, ela casou com Fred Ogden e o acompanhou para a Ilha de Kodiak, também no Alaska. Eles moraram em um pequeno vilarejo perto de um centro de localização por satélite antes de se mudarem para Pocatello, em Idaho, para terminar os estudos. Desde então, passaram por várias cidades da região, até se estabelecerem em Tacoma. O casal teve quatro filhos e sete netos. Entre os interesses em comum, os dois gostam de navegar, cultivar alimentos orgânicos, e administrar uma academia de judô em Roy, Washington.

Robin Hobb começou sua carreira de escritora como Megan Lindholm. Muito prolífica desde o colegial, ela começou a enviar ficção e poesia para revistas nos anos 70. Durante essa década e na seguinte, também escreveu para jornais locais e para várias revistas infantis. No final do anos 70, ela adentrou o reino da fantasia e ficção científica, com diversos contos publicados em fanzines da época. Em 1982, vendeu seu primeiro livro, Harpy’s Flight. Essa história continha personagens de um conto publicado primeiramente na antologia AMAZONS!, editada por Jessica Amada Salmonson. AMAZONS! foi ganhadora do World Fantasy Award de melhor antologia e ajudou no crescimento de suaO popularidade em relação ao público. Como Megan Lindholm, ela publicou dez romances, incluindo The Gypsy, em parceria com Steven Brust, além de inúmeros contos. Seu trabalho mais conhecido como Megan Lindholm é Wizard of the Pigeons, muito popular em países como França, Bélgica e Holanda.

robin2

Em 1995, ela lançou uma carreira paralela sob o pseudônimo Robin Hobb com o objetivo de publicar fantasia épica, um estilo totalmente diferente de Megan Lindholm. Aprendiz de Assassino foi o primeiro livro publicado com o novo nome. A trilogia, conhecida no Brasil como A Saga do Assassino, foi completada com O Assassino do Rei (1996) e A Fúria do Assassino (1997). Todos os três foram nomeados ao prêmio de “melhor fantasia” pela British Fantasy Society. Depois veio a trilogia Os Mercadores de Navios-Vivos, ambientada em uma outra região do mesmo mundo. Cronologicamente, essa história acontece depois dos eventos da Saga do Assassino e é influenciada por eles. O Navio Arcano (1998), O Navio Insano (1999), e O Navio do Fim do Mundo (2000) formam essa trilogia.

Após Os Mercadores de Navios-Vivos, Hobb retorna para a história de Fitz e do Bobo com a trilogia Tawny Man. Os dois icônicos personagens se reunem em Fool’s Errand (2001), Golden Fool (2003), Fools Fate (2004).  Deixando o “Reino dos Antigos” um pouco de lado, Robin Hobb se aventurou em uma fantasia “gunpowder”, ou seja, com a tecnologia um pouco mais evoluída, intitulada The Soldier Son Trilogy. Shaman’s Crossing (2005), Forest Mage (2006) and Renegade’s Magic (2007) constituem essa trilogia. Ela retorna mais uma vez para o seu cenário favorito em Rain Wild Chronicles. Os quatro volumes que formam a série Dragon Keeper (2009), Dragon Haven (2010), City of Dragons (2012) and Dragon’s Blood (2013).  Alguns personagens da trilogia Os Mercadores de Navios-Vivos reaparecem em Rain Wild Chronicles.

robin3

Mais recentemente, Robin Hobb concluiu a história de Fitz e o Bobo com a trilogia intitulada simplesmente Fitz and the Fool. Fool’s Assassin, Fool’s Quest, e Assassin’s Fate encerram um saga que se estendeu por dezesseis livros e por mais de vinte anos. Esses personagens, entretanto, ficarão eternizados na memória de leitores de todo o mundo. Assassin’s Fate, último livro da série, foi premiado com o David Gemmell Award de melhor livro de fantasia no ano passado.

Atualmente, Robin está escrevendo uma nova história sob o nome de Megan Lindholm. O seu ritmo de escrita, porém, está bastante prejudicado pela artrite degenerativa nas mãos da autora. Ela ainda busca outras alternativas para se manter sempre publicando novas aventuras. Enquanto isso, se dedica à vida familiar, curte os netos, e cuida de sua pequena fazenda. Uma mulher realmente admirável!

Confira a entrevista exclusiva dos nossos parceiros do blog INtocados:

 

Principais obras publicadas no Brasil:

O Aprendiz de Assassino (1995)

robin4

A saga fantástica que conquistou George R. R. Martin!

O jovem Fitz é o filho bastardo do nobre Príncipe Cavalaria e foi criado pelo cocheiro de seu pai, à sombra da corte real. Ele é tratado como um penetra por todos na realeza, com exceção do Rei Sagaz, que faz com que ele seja secretamente treinado na arte do assassinato. Logo ele enfrentará sua primeira missão perigosa. E embora alguns o vejam como uma ameaça ao trono, ele pode ser a chave para a sobrevivência do reino.

O Assassino do Rei (1996)

robin5

Segundo volume da saga fantástica de Robin Hobb!

Fitz sobreviveu à sua primeira missão como assassino a serviço do rei, mas foi por pouco. Amargurado e sofrendo, ele pretende abandonar seu juramento ao Rei Sagaz e permanecer nas montanhas distantes. Porém o amor e acontecimentos terríveis o atraem de volta à corte em Torre do Cervo para as intrigas mortais da família real. Renovando seus violentos ataques ao litoral, os Salteadores dos Navios Vermelhos deixam um rastro de vilarejos queimados e vítimas ensandecidas. O reino também sofre agressões internas: a traição ameaça o trono do rei doente. Neste momento de grande perigo, o destino do reino talvez resida nas mãos de Fitz – e seu papel na salvação dele pode exigir seu sacrifício supremo.

A Fúria do Assassino (1997)

robin6

Último volume da Saga De Robin Hobb!

Rei Sagaz foi morto pelas mãos de seu filho Majestoso. E Fitz também está morto — ou assim acreditam tanto seus oponentes como seus amigos. Mas com a ajuda de seus aliados e a magia dos animais, ele emerge da sepultura, profundamente marcado no corpo e na alma. O reino também oscila em direção à ruína e somente o retorno de Veracidade — ou o nascimento do sucessor que a Princesa Kettricken espera — pode salvar os Seis Ducados. Mas Fitz não vai esperar. Impulsionado pela perda e por amargas lembranças, ele iniciará uma missão extrema: matar Majestoso. A viagem irá lançá-lo em águas profundas, enquanto desvenda correntes selvagens de magia dentro de si — cursos que irão afogá-lo ou torná-lo maior do que ele era.

O Navio Arcano (1998)

robin7

Robin Hobb, autora da “Saga do Assassino”, retorna ao universo ficcional conhecido como Reino dos Antigos com a trilogia “Os Mercadores de Navios-Vivos”. No primeiro volume, O navio arcano, Robb faz referências a clássicos como Moby Dick, de Herman Melville, e Mestre dos mares, de Patrick O’Brian, para conduzir o leitor por uma aventura marítima repleta de magia.

A narrativa apresenta a história de um orgulhoso grupo de famílias que navega por mares bravios repletos de piratas e serpentes a bordo de seus navios-vivos – embarcações raríssimas e mágicas feitas de madeira-arcana, capazes de adquirir vida própria. Raros e valiosos, eles têm uma ligação íntima com a família que os comprou originalmente, e sua vida só é despertada depois que três membros de gerações seguidas morrem em seu convés. Ao longo dos anos, os Velhos Mercadores de Vilamonte tiveram sua riqueza dilapidada pelas guerras ao norte e pelas pilhagens dos piratas ao sul, e agora ainda precisam lidar com o aparecimento de Novos Mercadores, que pretendem abalar o tênue equilíbrio existente entre Vilamonte e os Ermos Chuvosos. A única esperança de renovar a prosperidade da família Vestrit, uma das mais antigas de Mercadores da região, é Vivácia, uma embarcação que está com eles há gerações e prestes a se tornar um navio-vivo. A bordo dela navega a filha do capitão, Althea Vestrit, abalada com o estado de saúde do pai, mas ansiosa pelo despertar do navio que tanto ama. Enquanto isso, o ardiloso pirata Kennit anseia por obter seu próprio navio-vivo. Já bem familiarizado com o poder da madeira-arcana, ele tem planos bem específicos para sua futura embarcação… E não medirá esforços para conquistá-la.

 

Texto fonte: http://www.fantasybookreview.co.uk/Robin-Hobb/biography.html

Deixe uma resposta