Dia Mundial do Rock! 7 lançamentos de 2018 para os fãs de Rock

13 de julho, dia Mundial do Rock desde que Phill Collins, da banda Genesis, instituiu durante o festival Live Aid, em 1985. Mesmo que essa data seja levada a sério apenas no Brasil, é bem legar ver o destaque em várias mídias para um estilo que, na maior parte do tempo, permanece fora do mainstream.

A nossa lista de hoje é dedicada a todos os fãs de rock n’ roll que adoram ler as histórias de vida de seus ídolos musicais.  Are you ready to rock?

Beatles 1966: O Ano Revolucionário, de Steve Turner

rock1Se existe um divisor de águas na trajetória dos Beatles, este sem dúvida é o ano de 1966. Ele marcou momentos importantes na vida de John, Paul, George e Ringo, afastando-os cada vez mais da imagem de meros ídolos adolescentes e transformando-os em artistas respeitados.

Foi nesse ano que eles gravaram o seminal álbum Revolver, deixaram de compor apenas canções sobre amor e garotas, se envolveram ainda mais com LSD, fizeram sua última turnê e desenvolveram projetos pessoais – e tudo isso afetaria não apenas o futuro deles como grupo, mas também toda a cultura pop ocidental.

Em Beatles 1966, o jornalista Steve Turner faz uma deliciosa investigação da trajetória do quarteto de Liverpool ao longo desses 12 meses e nos transporta de volta a uma intensa era, que até hoje influencia o mundo onde vivemos.

Para Que Serve Esse Botão?, de Bruce Dickinson

rock2Muito mais do que um ícone do rock: as extraordinárias memórias do vocalista do Iron Maiden

Com mais de 40 anos na estrada e 90 milhões de álbuns vendidos, o Iron Maiden se firmou como uma dais maiores, mais sólidas e mais influentes bandas de rock de todos os tempos. Para milhões de fãs, essa trajetória de sucesso está diretamente associada a um nome e uma voz: Bruce Dickinson, vocalista e líder do grupo há 30 anos.

Mas, para além das performances lendárias, Bruce é um homem de muitos talentos. Ele é piloto e empreendedor da aviação, cervejeiro, palestrante, roteirista, escritor com dois livros publicados, apresentador de rádio, ator de TV e exímio esgrimista — ou seja, uma pessoa absolutamente singular.

Conhecido por não falar da vida pessoal, Bruce compartilha em Para que serve esse botão? os detalhes de suas memórias extraordinárias, desde eventos marcantes de sua infância até a recente batalha contra um câncer na garganta. Com bastidores e curiosidades inéditos e dois encartes de fotos, o livro foi escrito à mão por Bruce em sete cadernos ao longo de dois anos de turnês. Leitura indispensável para fãs do Iron Maiden, curiosos sobre música, amantes de biografias ou de trajetórias inspiradoras.

Renato Russo: O Filho da Revolução, de Carlos Marcelo

rockA mais completa biografia do vocalista da Legião Urbana ganha edição revista, atualizada e ampliada pelo autor. Escrita a partir de mais de cem entrevistas e de pesquisas realizadas ao longo de nove anos, Renato Russo: o filho da revolução narra, de forma fluente e minuciosa, a transformação do adolescente Renato Manfredini Júnior no maior ídolo do rock brasileiro. A vivência intensa em Brasília sob a ditadura militar nos anos 1970 e 1980 é reconstituída em detalhes neste best-seller lançado em 2009, presença constante na lista dos mais vendidos de não ficção daquele ano.

Manuscritos com os planos ambiciosos do iniciante Renato e os rascunhos de sucessos como Faroeste Caboclo, Tempo perdido e Eduardo & Mônica também são reproduzidos com exclusividade, bem como as letras vetadas pela Censura Federal. Além dos depoimentos de integrantes da Legião Urbana, do Capital Inicial, da Plebe Rude, d’Os Paralamas do Sucesso, dos Titãs e de outras bandas da era de ouro do rock nacional, a nova edição inclui capítulo inédito elaborado a partir de entrevistas com amigos e colegas, como Marisa Monte e outros músicos que trabalharam e conviveram com Renato Russo no período final de sua vida, encerrada prematuramente aos 36 anos, em 11 de outubro de 1996.

Lembranças e histórias de Renato Russo, o ídolo que, por meio de versos líricos e incisivos, fez sua música atravessar gerações para fascinar – e emocionar – os fãs de todas as idades.

Bon: A Última Highway, de Jesse Fink

rock3Bon Scott, o primeiro vocalista do AC/DC, é considerado uma lenda do rock: tanto pelo grande talento à frente de uma das maiores bandas de todos os tempos quanto por sua morte precoce, aos 33 anos, em 1980. Diz a história que ele morreu de intoxicação alcoólica depois de passar a noite num carro e que não teve nenhuma participação no disco seguinte do AC/DC. Mas qual a verdade por trás disso? Ele realmente morreu dessa forma? O Back in Black – álbum de rock mais vendido de todos os tempos – foi totalmente composto pelos irmãos Young e por Brian Johnson? O que é mito e o que é fato no que hoje sabemos sobre ele?

Em Bon: A última highway, o jornalista Jesse Fink, autor de outro livro de sucesso sobre o AC/DC, recorre a documentos e fontes nunca antes acessados na tentativa de desvendar um dos maiores mistérios do rock, compondo aqui a biografia mais completa sobre Bon Scott.

Scar Tissue, de Anthony Kiedis

rock6As cicatrizes reais de uma lenda da música. Considerada pela Rolling Stone como uma das melhores autobiografias de roqueiros de todos os tempos, Scar Tissue expõe a alma de Anthony Kiedis, vocalista do Red Hot Chili Peppers. Kiedis oferece uma história de dedicação e devastação, de intriga e integridade, de imprudência e redenção – uma história que só poderia ter saído do mundo do rock.

18 and Life: Minha Vida no Skid Row, de Sebastian Bach

rock4Sebastian Bach é o típico líder de banda de rock: barulhento, tempestuoso, bonito e incrivelmente talentoso. Ele foi o eletrizante vocalista do Skid Row, que arrebatou o mundo no fim dos anos 1980 com canções de sucesso como “18 and Life, “Youth Gone Wild” e “I Remember You”, fazendo turnês pelo mundo na louca época em que o hard rock dominava as rádios e aparecia na capa de todas as grandes revistas de música.

Nesta empolgante e brutalmente honesta autobiografia, Sebastian Bach conta sua história no Skid Row: as festas, as drogas e as turnês internacionais com Mötley Crüe, Aerosmith, Bon Jovi, Pantera, Metallica, Slayer e Guns N’Roses, e mostra como sua voz única levou o Skid Row ao auge e o manteve bem-sucedido em carreira solo depois que a banda terminou.

Num livro recheado de fotos, ele também faz reflexões sobre o preço da fama e sobre o que significa ser um verdadeiro rock star! De seu nascimento nas Bahamas a seus anos de adolescência no Canadá, da formação do Skid Row aos shows lotados de milhares de fãs, esta é a história definitiva de Sebastian Bach e de sua música.

Ainda Estou Vivo, de Phil Collins

rock5A autobiografia e um dos ícones da música internacional Compositor e intérprete de sucessos como “Invisible Touch”, “Easy Lover” e “Against All Odds”, Phil Collins acumula mais de 100 milhões de álbuns vendidos tanto em uma banda quanto em carreira solo, e é um dos ícones musicais de toda uma geração.

Na autobiografia Ainda estou vivo, Collins narra, de maneira sincera e espirituosa, a história de sua extraordinária carreira, desde a época de ator infantil, passando por sua ascensão no Genesis até seu triunfo como um dos mais bem-sucedidos compositores da era pop.

Nas páginas deste livro os fãs poderão conhecer as histórias por trás de suas canções e turnês, projetos e crises pessoais, casamentos e divórcios, sucessos nos topos das paradas e destaques nas manchetes dos infames tabloides. Neste livro, Phil Collins se apresenta como você sempre o viu, mas como nunca o ouviu antes.

 

Deixe uma resposta