Pré-vendas da 1ª quinzena de fevereiro/2018 – Não-Ficção

Confira o resumo dos melhores lançamentos de não-ficção em pré-venda na primeira quinzena de fevereiro.

Pais Brilhantes, Professores Fascinantes, de Augusto Cury

nf1“Os pais e os professores lutam pelo mesmo sonho: tornar seus filhos e alunos felizes, saudáveis e sábios. Mas jamais estiveram tão perdidos na árdua tarefa de educar.

Apresentarei aqui ferramentas para promover a formação de pensadores, educar a emoção, expandir os horizontes da inteligência e produzir qualidade de vida.

Estes são alguns dos temas fundamentais que você encontrará neste livro:

  • Os sete hábitos dos pais brilhantes
  • Os sete hábitos dos professores fascinantes
  • Os sete pecados capitais dos educadores
  • As dez técnicas pedagógicas que podem revolucionar a sala de aula e a de casa

Não escrevo para heróis, mas para pessoas que sabem que educar é realizar a mais bela e complexa arte da inteligência. Educar é acreditar na vida e ter esperança no futuro, mesmo que os jovens nos decepcionem no presente.

Educar é semear com sabedoria e colher com paciência.” – Augusto Cury

Beatles 1966, de Steve Turner

nf2Se existe um divisor de águas na trajetória dos Beatles, este sem dúvida é o ano de 1966. Ele marcou momentos importantes na vida de John, Paul, George e Ringo, afastando-os cada vez mais da imagem de meros ídolos adolescentes e transformando-os em artistas respeitados.

Foi nesse ano que eles gravaram o seminal álbum Revolver, deixaram de compor apenas canções sobre amor e garotas, se envolveram ainda mais com LSD, fizeram sua última turnê e desenvolveram projetos pessoais – e tudo isso afetaria não apenas o futuro deles como grupo, mas também toda a cultura pop ocidental.

Em Beatles 1966, o jornalista Steve Turner faz uma deliciosa investigação da trajetória do quarteto de Liverpool ao longo desses 12 meses e nos transporta de volta a uma intensa era, que até hoje influencia o mundo onde vivemos.

A Vida Secreta dos Nazistas, de Paul Roland

nf3Enquanto exigia sacrifícios do povo alemão por uma guerra que poucos no círculo interno de Hitler acreditavam que podiam ganhar, os líderes nazistas levavam vidas de incrível devassidão, privilégio e poder. Eram roubos e assassinatos na maior das escalas. O ex-fazendeiro Heinrich Himmler usou sua influência como chefe da SS e da Gestapo para surrupiar as posses de milhões de vítimas. Joseph Goebbels, o “anão peçonhento” e manipulador da opinião pública, explorou sua posição como Ministro da Propaganda para sair com uma sucessão de estrelas de cinema. Enquanto isso, sob as ordens de Göring, milhares de trens repletos de tesouros pilhados viajavam de volta para a Alemanha advindos da França.

A vida secreta dos nazistas revela esses e muitos outros conflitos que se passaram nos bastidores do exército mais sistematicamente cruel e organizado que a humanidade conheceu. Se o povo alemão tivesse sabido da verdade sobre os homens em quem confiaram seu futuro, a história poderia ter tomado um outro caminho. Este livro conta a terrível verdade por trás da perniciosa propaganda vendida pelos nazistas.

A Inteligência e o Cadafalso, de Albert Camus

nf4De um dos mais importantes e representativos autores do século XX e Prêmio Nobel de Literatura

Publicado em 1943, A inteligência e o cadafalso condensa o percurso literário e ensaísta de Camus. A partir daí, sua obra se desdobra em personagens e em raciocínios concêntricos: o absurdo, a gratuidade, a culpa, o gozo e a beleza encarnam sua concepção do homem. Nos textos deste livro, é possível reconhecer as engrenagens do absurdo. Trata-se, enfim, de uma mitologia pessoal, projetada em suas leituras, nas reflexões sobre a linguagem e sobre a literatura que podem redimensionar o alcance de sua obra como um dos marcos da literatura do século XX.

A Erva Amarga, de Marga Mingo

nf5Um relato corajoso, delicado e intenso de uma fugitiva judia na Holanda ocupada pelos nazistas

Marga Minco era uma jovem judia na Holanda em 1940 que, sozinha, longe da família, escapou milagrosamente da prisão e da morte em um campo de concentração. Em uma série de crônicas vívidas — a chegada de seu pai com um pacote cheio de estrelas amarelas que deveriam ser costuradas na roupa, a ardência na cabeça ao descolorir o cabelo, as botas pretas vistas através de uma grade no porão da casa de sua família em Amsterdã —, ela conta como foi ver o céu escurecer sobre seu país, além de sua fuga, as viagens de trem, os esconderijos em fazendas, o torpor da perda.

A história de Marga Minco — assim como Anne Frank em seu diário — evoca uma época e um lugar, palco para acontecimentos que nunca devem ser repetidos, em uma linguagem emocionante, concisa e, por isso mesmo, memorável.

A Mais Breve História da Europa, de John Hirst

nf6Neste livro ágil e provocador, o renomado historiador John Hirst explica o que tornou a Europa o berço da civilização ocidental e a sociedade mais vanguardista do planeta em áreas como arte, ciência, filosofia e qualidade de vida.

Hirst começa identificando as três forças que deram origem à civilização europeia: a cultura da Grécia e da Roma antigas; o cristianismo; e a cultura bélica e feudal dos germânicos. Em seguida, conta como essa mistura instável acabaria se rompendo e então nos guia por um panorama da Antiguidade aos dias atuais a partir de temas como formas de governo, idiomas, religiões, jogos de poder e conflitos bélicos.

Com um texto claro e bem-humorado e diversas ilustrações, o autor nos apresenta a cavaleiros e sacerdotes, alemães românticos e franceses revolucionários, camponeses e líderes geniais – todas as peças que moldaram nossa forma de pensar e nos relacionar.

Hit Makers, de Derek Thompson

nf7Nada “viraliza”. Se você acha que um filme, música ou aplicativo popular apareceu do nada e virou um sucesso no mundo saturado de informações dos dias atuais, você não está prestando atenção. Cada sucesso de bilheteria tem uma história secreta – de poder, influência e cultos apaixonados – que transforma alguns produtos em fenômenos culturais. Até mesmo a mais brilhante das ideias cai no esquecimento se não encontrar sua rede, e os consumidores mais importantes não são os primeiros usuários mas sim seus amigos, seguidores e imitadores – a audiência da sua audiência.

Nessa investigação sem precedentes, o editor-sênior da The Atlantic, Derek Thompson, revela a psicologia por trás de por que gostamos do que gostamos e as dinâmicas econômicas do mercado cultural que molda nossas vidas. Destruindo os mitos sentimentais sobre os hits que dominam a cultura pop e os negócios, Thompson demonstra que a qualidade não é o suficiente para o sucesso, que ninguém tem “bom gosto” e que alguns dos produtos mais populares da história estavam a um passo de se tornarem desastres.

Hit Makers é uma viagem pelo último século da cultura pop e a mais valiosa moeda do século XXI – a atenção das pessoas.

Pense Bem Antes de Enviar, de Emerson Eggerichs

nf8Se um CEO de uma corporação multinacional compartilhar a sós com seu amigo de infância que odeia o que faz, é bem provável que ele ouvirá conselhos sinceros sobre a gestão de sua carreira. Porém, se ele usar as mesmas palavras num tuíte enviado para seus milhares de seguidores, com certeza terá sérios problemas para resolver, talvez até incontornáveis.

Estudiosos do comportamento humano têm pesquisado sobre a intensidade do fluxo das informações nas mídias sociais e sua incidência nas relações entre as pessoas, tanto políticos, empresários, atores ou atletas profissionais famosos quanto anônimos que apenas desejam externar suas opiniões.

Em Antes de enviar, Emerson Eggerichs fala sobre uma máxima muito antiga; pensar antes de falar. E o faz elaborando quatro perguntas: Isto é verdade? Isto é algo bom? Isto é necessário? Isto está claro?

Se você já se arrependeu de ter escrito uma mensagem logo após tê-la enviado, este livro é para você.

 

Deixe uma resposta