5 livros para quem curtiu Os Homens Que Não Amavam As Mulheres

A nossa sessão “Se você leu…” viaja até a península escandinava nessa postagem para indicar cinco livros para quem curtiu o thriller Os Homens Que Não Amavam as Mulheres e a Trilogia Millenium, de Stieg Larsson. Durante a pesquisa que realizei para esse artigo, fiquei impressionado com a produção de ficção policial nos países nórdicos, a ponto de se tornar quase um subgênero à parte, reconhecido no mundo todo pela sua qualidade.

Espero que vocês curtam nossas indicações sempre respaldadas por importantes veículos da blogosfera literária nacional. Vamos à lista:

Boneco de Neve, de Jo Nesbø

millenium1

Apesar de Boneco de Neve ser o sétimo livro protagonizado por Harry Hole, a série de Jo Nesbø funciona exatamente como os romances de Poirot (Agatha Christie), ou seja, os mistérios podem ser lidos independentemente, apesar de alguns detalhes da vida pessoal pregressa do protagonista serem mencionados. A história foi adaptada para o cinema esse ano com Michael Fassbender no papel do detetive Harry Hole.

A primeira neve do ano cai sobre Oslo num dia frio de novembro. Birte Becker chega do trabalho e elogia o boneco de neve que o marido e o filho fizeram no jardim. Os dois ficam surpresos – eles não tinham feito boneco nenhum. Ao olhar pela janela, o menino nota que a figura branca está virada para a casa, com os olhos negros voltados para a janela. Para eles.

Quando o inspetor Harry Hole recebe uma carta do autointitulado Boneco de Neve, não desconfia do tenebroso significado dessa alcunha. Somente após descobrir alarmantes traços em comum entre vários desaparecimentos na Noruega, o policial percebe que está envolvido numa trama muito maior, capaz de testar os limites de sua sanidade.

“Em Boneco de Neve, nada acontece por acaso. Todos os pontos de virada da história tem um porquê e uma ligação concreta com a motivação do assassino. A trama é complicada e complexa, apontando para muitas possibilidades e nenhuma delas parece ser a correta. Nesbø constrói sua história com personagens fortes e bem característicos, fazendo de todos um pouco suspeitos. Conforme o caso se desenrola, descobrimos que Harry está na mira do assassino e o perigo pode estar bem embaixo do seu nariz.” – Canto dos Clássicos

Gritos do Passado, de Camilla Läckberg

millenium2

Gritos do Passado é o segundo volume da série de crimes cometidos na pequena cidade de Fjällbacka. No entanto, assim como a histórias de Nesbo, os livros podem ser lidos em qualquer ordem. A propósito, essa independência entre as obras de um mesmo autor é uma característica bem comum da literatura policial nórdica.

Em uma manhã de verão, um garoto sai para brincar na praia. Porém, suas brincadeiras são interrompidas de maneira abrupta quando ele encontra o cadáver de uma jovem nua. A polícia é chamada à cena e conclui que a mulher fora assassinada. O mistério aumenta quando os policiais descobrem que embaixo do corpo da mulher foram colocados esqueletos de outras duas jovens dadas como desaparecidas desde o final dos anos 1970.

Para juntar as peças desse quebra-cabeça, o policial Patrik Hedström é designado como chefe da investigação, o que o obriga a abandonar suas férias e sua esposa, Erica Falck, grávida de seu primeiro filho. Erica, porém, não consegue ficar sem se envolver e decide ajudar Patrik pesquisando informações na biblioteca local.

A partir daí, novas revelações começam a dar forma à investigação – os esqueletos podem ser de duas jovens desaparecidas há mais de vinte anos. Descobertas que trazem à tona antigos conflitos da família Hult, cujo patriarca, o pastor protestante Ephraim, mobilizava multidões de fiéis em seus cultos acompanhado dos dois filhos, Gabriel e Johannes, dotados de poderes de cura.

Gritos do Passado, segundo livro da autora, não deixa a desejar em nada: trama interessante, explicações satisfatórias, boa narrativa e, ao terminar a leitura, deixa no leitor a certeza de que a autora sabia exatamente o que estava fazendo e onde queria chegar desde a primeira palavra.” – Além da Contracapa

The Game: O Jogo, de Anders De La Motte

millenium3

Lançado originalmente em meados de 2010, O Jogo é o thriller mais moderno de nossa lista, tanto cronológica quanto tecnologicamente. Trata-se do primeiro livro de uma trilogia cujos dois livros seguintes, Ruído e A Bolha, também já foram publicados no Brasil.

É só um jogo. Isso é o que pensa Henrik “HP” Peterson, protagonista da Trilogia The Game, ao aceitar um convite anônimo, via celular, para participar de missões inusitadas pelas ruas de Estocolmo. Mas a cada tarefa cumprida, e devidamente compartilhada na rede, ele tem a sensação de que a brincadeira está ficando séria demais.

Será paranoia? Ou será que HP está realmemte caindo numa poderosa rede de intrigas, com conexões que poderiam chegar aos responsáveis pelo assassinato do primeiro ministro sueco em 1986 ou até mesmo aos ataques do 11 de setembro? Quem afinal está por trás desse JOGO? Você tem coragem de investigar?

Então você precisa ler O Jogo, primeiro livro da Trilogia The Game, de Anders de la Motte. Uma saga eletrizante que combina a escola sueca de suspense (vide Stieg Larsson) com o vazamento de informações no mundo pós Edward Snowden.

“The Game: O Jogo, de Anders de la Motte, é um começo empolgante para uma trilogia que deve misturar uma trama intrincada a temas importantes do nosso presente; os deslizes e a falta de ritmo em algumas partes são amenizados com um final que promete um segundo livro de tirar o fôlego.” – Pela Toca do Coelho

A Mulher Enjaulada, de Jussi Adler-Olsen

millenium4

Depois de três títulos de autores suecos, é hora de deixarmos a península escandinava propriamente dita e rumarmos um pouco para o sul. A Mulher Enjaulada é o primeiro volume da série Departamento Q, do dinamarquês Jussi Adler-Olsen. Um filme baseado no livro, intitulado O Guardião das Causas Perdidas, foi produzido em 2013 na própria Dinamarca.

No auge da carreira política, a bela e reservada Merete Lynggaard desaparece. As investigações que se seguem não rendem muitas informações à polícia, levando ao arquivamento do caso. Passados alguns anos, o detetive Carl Mørck, responsável pelo recém-criado Departamento Q — uma seção para casos importantes não solucionados — é encarregado de descobrir o que, afinal, aconteceu a ela. Então, com seu assistente, Assad, ele inicia uma busca pelos rastros desse mistério e, para isso, Carl precisa vasculhar o passado de Merete, guardado a sete chaves, para descobrir a verdade.

“A narrativa do autor é maravilhosa, e ter duas histórias para acompanhar deixou o livro dinâmico e intenso. Gostei muito de acompanhar a linha de raciocínio de Carl, e ir desvendando gradativamente o caso, mas quase no final já estava muito ansiosa para ele fazer as peças se encaixarem logo. A mulher enjaulada é um livro policial que vai te perturbar e fazer ansiar por respostas, recomendo a leitura!” – Apenas Um Vício

Anjos da Neve, de James Thompson

millenium5

Nossa próxima parada é na Finlândia com Anjos da Neve, escrito pelo autor americano James Thompson. Nascido nos Estados Unidos, mas morando no país desde 1998, Thompson publicou quatro livros da série Inspetor Vaara, da qual este é o primeiro. Um quinto volume estava programado, mas ficou inacabado após a morte repentina do autor em 2014.

Em uma pequena cidade do extremo norte da Finlândia. uma jovem somali é encontrada morta e mutilada. Decidido a encontrar o culpado pelo crime horrendo antes que o caos e a indignação tomem conta do país. o inspetor Kari Vaara precisa investigar a vida de cada morador local para chegar ao cerne do crime. Porém. a busca pela verdade no gélido clima ártico envolve pessoas que ele conhece muito bem. e o culpado pode estar mais perto do que ele imagina.

“A trama se desenrola cheia de suspense, complexidade e misterios. O desfecho não me surpreendeu muito, porém revelou os traços concretos nas pesquisas realizadas pelo protagonista, o que acertou a realidade do lugar, de uma forma assustadora e infelizmente realista demais. A história nos faz entrar em um universo abrangente e é como se adentrássemos como verdadeiros detetives especializados.” – Blog da Fê

 

 

2 pensamentos

Deixe uma resposta