10 livros sobre a lenda do Rei Artur publicados no Brasil

Acredito que não exista tema mais recorrente na literatura fantástica do que a lenda do Rei Artur. São incontáveis livros e inúmeras interpretações sobre a história do rei que uniu a Grã-Bretanha sob seu domínio. Apesar de estarem intrinsecamente ligados à história e mitologia britânica, Artur, Merlin, Morgana e os cavaleiros da Tavóla Redonda, encantam leitores por todo o mundo. E no Brasil não é diferente, como demonstram o récem relançamento de As Brumas de Avalon e a futura publicação do quarto volume de A Lenda do Rei Artur, de Mary Stewart.

Por isso, resolvemos listar 10 livros que abordam o mito de Artur nessa postagem. Vamos lá:

O Rei do Inverno, de Bernard Cornwell

artur1
Romance genial que retrata a história do lendário guerreiro Artur, que ganhou fama com o título de rei, embora nunca tenha usado uma coroa. A mitologia de Artur está sempre se atualizando e encantando novas gerações.
Em uma Britânia habitada por cristãos e druidas, dividida entre diferentes senhores feudais e seus respectivos interesses e ameaçada pela invasão dos saxões, Artur emerge como um guerreiro corajoso capaz de inspirar lealdade, unir os povos e proteger o trono do rei Uther. O narrador é representado nesta história por Derfel, um soldado adotado por Merlin.
Uma obra emocionante escrita de forma singular por Bernard Cornwell.

O Rei do Inverno é o primeiro volume de As Crônicas de Artur, trilogia continuada em O Inimigo de Deus e Excalibur.

“Com a instabilidade política inerente ao momento histórico britânico, e com uma série de eventos que desencadeia o seu apogeu, o leitor pode esperar por batalhas incríveis, por paredes de escudos de tirar o fôlego e subtramas estonteantes. É claro, há partes em que o ritmo se quebra e se movimenta mais lentamente, mas nada que torne maçante ou desestimulante. Cornwell equilibra bem esses trechos com diálogos que enchem os olhos de qualquer um.”INtocados

A Espada na Pedra, de T.H. White

artur2
A espada na pedra é o primeiro e mais famoso livro da saga do Rei Arthur. Nesta obra, T. H. White apresenta a educação do menino Wart, que, ainda bebê, é entregue a Sir Ector, que será seu tutor e o criará como um filho. Wart será guiado e ensinado pelo famoso mago Merlin, um dos personagens mais importantes e encantadores da obra, que o colocará em várias aventuras, transformando-o em animais e fazendo-o encontrar famosos personagens, como Robin Hood, o fora da lei, com quem enfrentará a Rainha Morgana.
Porém, todos os ensinamentos proporcionados por essas aventuras somente farão sentido para Wart com a morte de um importante Rei, momento em que nascerá o famoso Rei Arthur.

A Espada na Pedra é o primeiro volume da série O Único e Eterno Rei no Brasil. Na versão original, entretanto, trata-se de um livro único dividido internamente em quarto partes. Infelizmente, apenas a primeira e segunda partes, A Rainha do Ar e das Sombras, receberam edição nacional.

“Recheado de trechos filosóficos, A Espada na Pedra é muito mais do que um pequeno e simples livro infantil. Ele encanta na forma como vamos aprendendo junto com nosso pequeno herói sobre valores, poder, sabedoria, guerra… T.H. White ao mesmo tempo que traz a fantasia e a pureza através dos elementos fantásticos, nos faz refletir.”Um Reino Muito Distante

A Caverna de Cristal, de Mary Stewart

artur3
Quem foi Merlin? O feiticeiro de contos de fadas? O mago de túnica, chapéu pontudo e varinha de condão? Ou um rei e profeta das velhas lendas?
Em uma narrativa envolvente e emocionante, Mary Stewart traz ao leitor, a partir de pesquisa dos fatos reais e lendários, a trajetória de Merlin, narrada de forma brilhante pelo próprio mago.
Neste primeiro volume da saga, o leitor o acompanha desde sua infância como um desprezado menino bastardo, acusado de ser filho do demônio, até o momento em que se torna a lenda, o mago dos magos, o célebre protetor do Rei Artur e da Bretanha unificada.
Fascinante do começo ao fim, A Caverna de Cristal faz o leitor reviver a história, em uma viagem cheia de traições, guerras e assassinatos. Um livro perfeito para os amantes de fantasia épica e de ficção histórica

A Caverna de Cristal é o primeiro volume de A Lenda do Rei Artur. Essa saga foi composta inicialmente pelos três livros que formam a Trilogia Merlin: A Caverna de Cristal, As Colinas Ocas, e O Último Encantamento. Além desses, mais dois livros foram publicados: O Dia do Mal, que finaliza a história de Artur, e The Prince and the Pilgrim, embora esse último seja uma história separada das demais.

“Esse primeiro livro da trilogia mostra como a autora brinca com as informações e deixa a faixa divisória entre história e fantástico tão próximas, que fica difícil distinguí-las. É muito curioso como ela incorpora elementos na sua narrativa, tornando a lenda ainda mais real, como o Stonehenge. Essa com certeza é uma leitura perfeita para os amantes da literatura fantástica, com cenas de batalhas, muito sangue, magia, traição, romance e manipulação pra agradar a todos.” Livros em Série

As Brumas de Avalon, de Marion Zimmer Bradley

artur4
Grande clássico da literatura mundial retrata a mítica história do rei Artur a partir da perspectiva de mulheres mágicas e poderosas.
Por séculos, as lendas arturianas povoaram o imaginário de leitores de todo o mundo. As brumas de Avalon é considerado por muitos a versão literária definitiva do mito e muitas gerações de mulheres se deixaram arrebatar pela escrita envolvente de Marion Zimmer Bradley.
Pelos olhos de mulheres complexas e poderosas como Morgana das Fadas, Viviane, a Senhora do Lago, Igraine, Morgause e Gwenhwyfar, os reinos de Camelot e de Avalon são revisitados neste clássico, repleto de magia, sensibilidade e intrigas.

As Brumas de Avalon finalmente chega ao Brasil no seu formato original, em volume único. Antes publicada em quatro volumes, As Brumas de Avalon é, na verdade, o primeiro livro do Ciclo Avalon. A Planeta de Livros tem planos para publicar toda a série no Brasil.

As Brumas de Avalon evoca uma Bretanha que é ao mesmo tempo real e lendária – desde as suas desesperadas guerras pela sobrevivência contra a invasão saxônica até as tragédias que acompanham Artur até a sua morte e o fim da influência mítica por ele representada. Igraine, Viviane, Gwenhwyfar e Morgana revelam através da história de suas vidas e sentimentos a lenda do rei Artur, como se ela fosse nova e original.”INtocados

A Queda de Artur, de J.R.R. Tolkien

artur5
‘A Queda de Artur’, única incursão de J. R. R. Tolkien nas lendas do Rei Artur, narra a expedição do personagem a longínquas terras selvagens, a fuga de Guinevere de Camelot, a grande batalha naval na volta de Artur à Grã-Bretanha, a descrição do traidor Mordred, as dúvidas que atormentavam Lancelot em seu castelo francês.

A Queda de Artur é um relato em verso a última batalha de Artur contra as forças rebeldes de Mordred. A edição nacional é bílingue e conta com várias notas explicando o trabalho realizado por Tolkien e seu filho Christopher. Embora a sinopse diga o contrário, essa não foi a única incursão de Tolkien nas lendas do Rei Artur. O autor já havia traduzido o poema Sir Gawain and the Green Knight.

A Queda de Artur não é para iniciantes da obra tolkieniana – ela é um exercício primevo de Tolkien e seu conhecimento mitopoético, aquele que reconstrói através da métrica poética, eventos míticos/históricos. O fato de ainda narrar suas histórias na forma de poesias – técnica que ele iria usar como adorno indelével de seu legendarium, e que ainda estava sendo refinada – torna a obra uma leitura mais difícil e menos dinâmica em relação ao corpo geral de sua obra. Mas não menos deslumbrante, para quem tem interesse no autor – ou coragem de expandir seus horizontes literários.”Formiga Elétrica

Rei Arthur e os Cavaleiros da Távola Redonda, de Howard Pyle

artur6
O ilustrador e escritor Howard Pyle revive, em palavras e imagens, a saga do Rei Arthur e seus cavaleiros, desde o momento em que Arthur estabelece seu direito ao trono, ao retirar de uma bigorna a espada nela cravada. O livro relata suas batalhas com o Cavaleiro Negro e com o Duque da Nortúmbria, e seus esforços para manter consigo a mágica Excalibur; seu amor por Lady Guinevere e as origens da Távola Redonda; Merlin, traído pela feiticeira Vivien, além de Morgana e a Dama do Lago; Sir Pellias, Sir Gawaine e tantos outros nobres cavaleiros. E, ao fim, vê-se formulado o enigma de cuja resposta depende a vida de Arthur…

Essa Edição Comentada e Ilustrada inclui todas as 41 ilustrações e o texto integral do primeiro livro de Pyle sobre a saga de Arthur, rei da Bretanha. A linguagem e a diagramação do livro são inspiradas nos textos medievais, com resumos da história em pequenos destaques ao longo do texto.

O Howard Pyle ficou conhecido por recontar histórias de lendas clássicas em uma linguagem mais indicada para os jovens da época. No entanto, diferente de alguns de seus outros trabalhos, Pyle optou por não apenas adaptar o texto de outros autores, mas criou sua própria versão da lenda.

“Livro simples com linguagem voltada ao público infanto-juvenil. Frases curtas, descrições não prolongadas e por vezes o narrador onisciente fala com o leitor, seja para destacar algo surpreendente ou para prometer que a narrativa se intensifica por conta dos “prodigiosos” feitos dos cavaleiros da corte arthuriana. Pyle trabalha com linguagem romântica, os cavaleiros são sempre nobres e honrosos, as mulheres imaculadas (exceto as vilãs) e a natureza é um fragmento de Paraíso.”Vortex Cultural

O Filho do Dragão, de M.K. Hume

artur7
No início da Idade Média. as legiões romanas retiram-se das ilhas da Britânia. deixando o poder nas mãos de Uther Pedragon, o Alto Rei dos bretões. O governante, porém, perece em seu leito de morte sem a perspectiva de um herdeiro direto para quem deixar o trono. Alheio a isso, Artorex, filho de criação de lorde Ector, cresce na isolada Quinta Poppiniddi. Sua vida muda quando três homens misteriosos o visitam e ordenam que ele receba uma educação de cavaleiro. Com o passar dos anos, Artorex se torna um guerreiro corajoso e hábil. Quando os homens retornam e o convocam para ajudar a conter a ameaça saxã que se aproxima, é momento do rapaz provar seu valor. Apenas ele pode unir os celtas novamente, dando início a uma das maiores lendas da humanidade.

O Filho do Dragão é o primeiro volume da trilogia Crônicas do Rei Arthur. O segundo e o terceiro volume são, respectivamente, O Guerreiro do Oeste e O Cálice de Sangue. A autora ainda possui uma outra trilogia inspirada no ciclo arturiano publicada no Brasil. Iniciada em A Profecia, essa outra saga foca na figura de Merlin.

“Hume descreve os cenários com perfeição, detalhando cada parte de cada local explorado, o que torna a construção das cenas em nossas mentes muito mais fácil. Além dos cenários, as batalhas são muito bem descritas, desde o momento em que as estratégias são criadas, até o momento do júbilo da batalha, e ao meu ver, a autora se saiu muito bem nessa parte.”Bravura Literária

Merlin: Os Anos Perdidos, de T.A. Barron

artur8
Antes de ser Merlin, ele era apenas um menino… Um menino, sem memória, sem lar e sem nome. Determinado a encontrar os três. Destinado a se tornar o maior mago de todos os tempos. Siga os passos do jovem Merlin, seus primeiros passos na magia e suas aventuras em Fincarya. Uma terra entre céu e terra, ameaçada por um poder maligno. Com a ajuda de um grupo improvável. ele irá aprender que seu passado e seu futuro estão estranhamente interligados ao destino desse lugar.

Depois de Artur, Merlin é o personagem mais importante do ciclo arturiano se levarmos em consideração a quantidade de livros, filmes e séries dedicados ao tutor e mago do rei. A série de T.A. Barron é composta por cinco livros, mais duas trilogias adicionais. Desses, apenas os três primeiros (Os Anos Perdidos, As Sete Canções, e Fogo da Fúria) da pentalogia inicial foram publicados no Brasil.

“A narrativa de Barron é fluida e dá muito certo para o público ao qual o livro se destina. Linguagem de fácil entendimento, misturada com parágrafos e capítulos ágeis, em uma descrição detalhada, mas não exagerada. A narrativa do livro em primeira pessoa dá um toque mais pessoal à história e conhecemos a cabeça desse jovem fantástico.”Murmúrios Pessoais

Rei Artur, de Alan Massie

artur9
Rei Artur, de Allan Massie, poderia ser mais uma narrativa da lenda do menino-que-tirou-a-espada-da-pedra-e-virou-rei. Mas não é, e embora também conte essa história, apresenta um retrato muito mais amplo de um personagem histórico e de um tempo apaixonante.
O livro pretende ser uma reprodução da narrativa de um sábio medieval, Michael Scott, a seu aluno Frederico II de Hohenstaufen (1194-1250), imperador do Sacro Império Romano. Além de contar a história, Scott se permite digressões sobre a veracidade do que é dito por poetas e ataques a outros historiadores – e Massie nos entrega, além da saga de Artur, um instantâneo da mente medieval.
O conhecimento do autor sobre o período faz com que o livro, além de uma leitura prazerosa, seja uma introdução ao modo de vida de uma época que, apesar de distante centenas de anos, ainda provoca fantasias. A cuidadosa descrição das disputas familiares e religiosas dá uma nova luz aos conflitos medievais.
O texto é dividido em livros, e estes em capítulos. Começa com Artur, que até então vivera como plebeu, apanhando e sofrendo muito, cumprindo uma profecia. Ele consegue retirar de uma pedra a espada mágica, Excalibur, depois da morte do rei anterior e de todos os pretendentes desistirem do desafio, e assume o trono da Inglaterra.
O livro dá mais atenção ao reinado de Artur do que às aventuras dos cavaleiros andantes, e termina com a morte do rei, traído por um sobrinho e derrotado por um exército muito maior e mais forte do que o seu. No meio, uma narrativa que mostra a força dos romances históricos e reafirma o poder das boas histórias.

O autor Alan Massie é conhecido principalmente por sua série de biografias construídas de personagens históricos romanos como Júlio Cesar, Marco Antônio e Cleópatra, Calígula, Nero, Tibério, Augusto, assim como de outras figuras históricas. Rei Arthur faz parte de um trilogia de livros independentes situados na Idade Média.

“Este livro não é nenhum pouco deprimente. E apesar de alguns anacronismos, você fica grudado nas páginas do começo ao fim.”Independent

Excalibur: Histórias de Reis, Magos e Távolas Redondas

artur10
Uma homenagem à fantasia medieval e aos heróis que nunca morrem. Todos já ouvimos falar do Rei Artur. Desde as crônicas medievais até a literatura contemporânea, passando por meios como o cinema, teatro, quadrinhos e games, muito foi contado sobre ele, seus cavaleiros e o mago Merlin, reinventando o universo mágico cujo centro é a corte do reino de Camelot.
A coletânea ”Excalibur – histórias de reis, magos e távolas redondas” abraça esse imaginário, reunindo histórias inspiradas por versões das novelas de cavalaria e releituras contemporâneas, mas sem ignorar a sua origem na mitologia celta. O resultado é a diversidade de estilos, cenários e gêneros que vão da fantasia heroica ao dieselpunk, sempre unidos à atmosfera de magia e aventura que imortalizaram o Rei Artur.

Excalibur: Histórias de Reis, Magos e Távolas Redondas é o representante nacional da lista. Antologia organizada por Ana Lúcia Merege, também traz história de autores como Roberto de Sousa Causo, Liège Báccaro Toledo, Luiz Felipe Vasques e Daniel Bezerra, André S. Silva, Pedro Viana, A. Z. Cordenonsi, Marcelo Abreu, Melissa de Sá, Octavio Aragão e Cirilo S. Lemos.

“Com elementos mágicos ou não, como rei ou não, a história do rei Arthur é fascinante, pois não simboliza somente o ideal de um povo específico, mas de todo povo, de qualquer nação, de qualquer ser humano. É uma das mais fascinantes histórias já criadas ou contadas e ler uma antologia com doze recontando essa história, de doze modos diferentes, com pontos de vistas diferentes, usando elementos diferentes da literatura especulativa só aumentou o meu fascínio pelas chamadas lendas arturianas.”Dragonmount Books

 

4 pensamentos

Deixe uma resposta