10 livros que inspiraram séries em 2017

A produção de séries de TV, seja por canais de televisão ou por serviços de streaming, é um mercado que cresce massivamente a cada ano. São tantas séries interessantes sendo lançadas mês após mês que, mesmo focando apenas nas que chamam mais a atenção, é impossível acompanhar todas elas. Agora, imagina ter que criar o conceito de tantas produções a partir da estaca zero? Muito difícil, né? Por esse motivo, além da própria qualidade das histórias, os estúdios recorrem às obras literárias como fonte de inspiração paras a suas séries e filmes.

Nessa postagem listaremos 10 livros que inspiraram séries disponibilizadas em 2017.

Thirteen Reasons Why

Sucesso de audiência desde que foi disponibilizado no serviço de streaming da Netflix, Thirteen Reasons Why gerou bastante controvérsia. Enquanto grande parte do público considerou muito importante assuntos delicados como suicídio e bullying fossem abordados, outra parcela criticou a série por romantizar o suícidio. Independente de qual seja a sua opinião, é inegável que Thirteen Reasons Why se tornou um fenômeno no Brasil, discutido amplamente nas redes sociais, rodas de amigos, e até salas de aula.

O sucesso foi tanto que a série foi renovada para uma segunda temporada, mas não há maiores informações sobre os rumos que ela irá seguir.

Thirteen Reasons Why foi inspirada no livro:

Os 13 Porquês, de Jay Asher

serie1

“Ao voltar da escola, Clay Jensen encontra na porta de casa um misterioso pacote com seu nome. Dentro, ele descobre várias fitas cassetes. O garoto ouve as gravações e se dá conta de que elas foram feitas por Hannah Baker – uma colega de classe e antiga paquera -, que cometeu suicídio duas semanas atrás. Nas fitas, Hannah explica que existem treze motivos que a levaram à decisão de se matar. Clay é um desses motivos. Agora ele precisa ouvir tudo até o fim para descobrir como contribuiu para esse trágico acontecimento.”

The Handmaid’s Tale

The Handmaid’s Tale é, provavelmente, a série mais celebrada e comentada do ano. Ganhadora de oito Emmys, incluindo o de Melhor Série de Drama, essa adaptação de um premiado romance publicado há mais de trinta anos apresenta paralelos assustadores com a nossa sociedade atual.  Ambientada em um futuro no qual o governo dos Estados Unidos foi desposto e substituído por um regime totalitário e teocrático, Handmaid’s Tale trata de temas como machismo, misoginia, e o papel da mulher em uma sociedade patriarcal.

A série também foi renovada para uma segunda temporada prevista para estrear ano que vem.

The Handmaid’s Tale foi inspirada no livro:

O Conto da Aia, de Margaret Atwood

serie2

O Conto da Aia se passa num futuro muito próximo e tem como cenário uma república onde não existem mais jornais, revistas, livros nem filmes. As universidades foram extintas. Também já não há advogados, porque ninguém tem direito a defesa. Os cidadãos considerados criminosos são fuzilados e pendurados mortos no Muro, em praça pública, para servir de exemplo enquanto seus corpos apodrecem à vista de todos. Para merecer esse destino, não é preciso fazer muita coisa – basta, por exemplo, cantar qualquer canção que contenha palavras proibidas pelo regime, como “liberdade”. Nesse Estado teocrático e totalitário, as mulheres são as vítimas preferenciais, anuladas por uma opressão sem precedentes. O nome dessa república é Gilead, mas já foi Estados Unidos da América.”

Anne

Publicado originalmente em 1908, o clássico romance que inspirou a série Anne é considerado umas das melhores histórias infanto-juvenis de todos os tempos. A história da orfã ruiva e de fértil imaginação adotada por engano é leitura obrigatória em colégios de praticamente todos os países de língua inglesa. A série, entretanto, está longe de ser uma história infantil e tem um tom bem mais sombrio do que a obra original.

Anne também garantiu uma segunda temporada para 2018.

A série foi inspirada pelo livro:

Anne de Green Gables, de Lucy Maud Montgomery

serie3“Uma menina de 11 anos com cabelos ruivos sardas e uma mente tão perspicaz quanto a de um cientista em busca de conhecimento chega a uma terra onde as tardes são calmas; os pores do sol alaranjados; as florestas aconchegantes; e os rios suaves como o ritmo do povoado. Sua boca é uma matraca e seus sonhos são maiores que moinhos de vento. Anne vai crescendo e crescendo e de patinho feio revela-se um elegante e atento cisne pronto para abrir suas asas e voar para além das veredas. Mas a vida é feita de artimanhas e a garotinha adotada pelos irmãos Marilla e Matthew tem algumas cercas a pular sem jamais deixar seus sonhos desvanecerem como algumas criaturas fazem.”

Alias Grace

Prevista para estrear em novembro desse ano, Alias Grace é a segunda adaptação de um romance de Margaret Atwood em 2017. Baseada no assassinato real de Thomas Kinnear e sua governanta Nancy Montgomery em 1837, a série, assim como a obra que a inspirou, segue a relação da assassina, Grace Marks, e do psiquiatra contratado para examiná-la.

Alias Grace foi inspirada pelo livro:

Vulgo Grace, de Margaret Atwood

serie4“Inspirado num caso real, Vulgo Grace conta a trajetória de Grace Marks, uma criada condenada à prisão perpétua por ter ajudado a assassinar o patrão e a governanta da casa onde trabalhava, na Toronto do século XIX. Com uma narrativa repleta de sutilezas que revelam um pouco da personalidade e do passado da personagem, estimulando o leitor a formar sua própria opinião sobre ela, Atwood guarda as respostas definitivas para o fim. Afinal, o que teria levado Grace Marks a cometer o crime? Ou será que ela estaria sendo vitima de uma injustiça?”

Desventuras em Série

Inspirada pela série de livros de Lemony Snicket, pseudônimo do autor Daniel Handler, Desventuras em Série era uma das adaptações mais aguardadas desse ano. Principalmente depois que Neil Patrick Harris (de How I Met Your Mother) foi confirmado como Conde Olaf, papel que havia pertencido a Jim Carrey no filme de 2004. A maior parte da crítica inclusive, sempre ávida por comparações, considerou a série melhor e mais fiel ao material original do que o longa-metragem.

A Netflix renovou Desventuras para segunda e terceira temporadas, finalizando os trezes volumes da saga.

A série foi inspirada por:

Desventuras em Série, de Lemony Snicket

serie5

“Novo box reunindo os 13 volumes que já venderam mais de 500 mil exemplares no Brasil e inspiraram a série da Netflix. Imagine treze histórias tão terríveis que abalaram mais de 60 milhões de leitores por todo o mundo. Treze histórias tão sinistras que a lista de mais vendidos do New York Times não conseguiu se livrar delas durante sete anos. Agora imagine essas treze histórias reunidas num pacote especial — esta é a caixa Desventuras em Série. Lemony Snicket relata com seu estilo irônico incomparável a jornada dos irmãos Baudelaire, que tentam desvendar os mistérios da morte de seus pais ao mesmo tempo em que buscam um lugar que possam chamar de lar. O autor subverte os padrões bem-comportados da literatura infantojuvenil para compor uma saga ao mesmo tempo engraçada e arrepiante. Partindo de um “Mau começo”, o leitor acompanhará as desastrosas aventuras dos órfãos até “O fim”.”

American Gods

Essa adaptação daquela que é considerada a melhor obra literária em prosa de Neil Gaiman causou um grande alvoroço no universo geek desde o lançamento do primeiro trailer na Comic Con de San Diego. Apesar de ser baseado no livro homônimo, American Gods também incorpora elementos de outra obra de Gaiman, mais precisamente Os Filhos de Anansi.

A segunda temporada já foi confirmada e deve estrear entre abril e maio do ano que vem.

American Gods foi inspirada por:

Deuses Americanos, de Neil Gaiman

serie6“Obra-prima de Neil Gaiman, Deuses americanos é relançado pela Intrínseca com conteúdo extra.

A saga de Deuses americanos é contada ao longo da jornada de Shadow Moon, um ex-presidiário de trinta e poucos anos que acabou de ser libertado e cujo único objetivo é voltar para casa e para a esposa, Laura. Os planos de Shadow se transformam em poeira quando ele descobre que Laura morreu em um acidente de carro. Sem lar, sem emprego e sem rumo, ele conhece Wednesday, um homem de olhar enigmático que está sempre com um sorriso no rosto, embora pareça nunca achar graça de nada.

Depois de apostas, brigas e um pouco de hidromel, Shadow aceita trabalhar para Wednesday e embarca em uma viagem tumultuada e reveladora por cidades inusitadas dos Estados Unidos, um país tão estranho para Shadow quanto para Gaiman. É nesses encontros e desencontros que o protagonista se depara com os deuses — os antigos (que chegaram ao Novo Mundo junto dos imigrantes) e os modernos (o dinheiro, a televisão, a tecnologia, as drogas) —, que estão se preparando para uma guerra que ninguém viu, mas que já começou. O motivo? O poder de não ser esquecido.

O que Gaiman constrói em Deuses americanos é um amálgama de múltiplas referências, uma mistura de road trip, fantasia e mistério — um exemplo máximo da versatilidade e da prosa lúdica e ao mesmo tempo cortante de Neil Gaiman, que, ao falar sobre deuses, fala sobre todos nós.”


Big Little Lies

Um absoluto sucesso da HBO, Big Little Lies conta com um elenco de peso que ajuda a explicar as dezesseis nomeações e oito Emmys conquistados. Nomes como Reese Whitherspoon, Nicole Kidman, e Shailene Woodley nos papéis principais, além de Alexander Skarsgård e Laura Dern, no elenco de apoio.

Ainda não há uma confirmação oficial sobre uma segunda temporada da série, mas os rumores são muito fortes.

Big Littles Lies foi inspirada no livro:

Pequenas Grandes Mentiras, de Liane Moriarty

serie7

“Um assassinato, um trágico acidente ou apenas adultos se comportando como crianças? O fato é que alguém morreu.

Todos sabem, mas ainda não se elegeram os culpados. Enquanto o misterioso incidente se desdobra nas páginas de Pequenas grandes mentirasacompanhamos a história de três mulheres, cada uma diante de sua encruzilhada particular.

Madeline é forte e passional. Separada, precisa lidar com o fato de que o ex e a nova mulher, além de terem matriculado a filhinha no mesmo jardim de infância da caçula de Madeline, parecem estar conquistando sua filha mais velha. Celeste é dona de uma beleza estonteante. Com os filhos gêmeos entrando para a escola, ela e o marido bem-sucedido têm tudo para reinar entre os pais. Mas a realeza cobra seu preço, e ela não sabe se continua disposta a pagá-lo. Por fim, Jane, uma mãe solteira nova na cidade que guarda para si certas reservas com relação ao filho. Madeline e Celeste decidem fazer dela sua protegida, mas não têm ideia de como isso afetará a vida de todos. Reunindo na mesma cena ex-maridos e segundas esposas, mães e filhas, bullying e escândalos domésticos, o romance de Liane Moriarty explora com habilidade os perigos das meias verdades que todos contamos o tempo inteiro.”

Mindhunter

John Edward Douglas é um ex-agente especial do FBI que entrevistou alguns dos mais sanguinários assassinos em série da história. Nomes bem conhecidos como David Berkowitz, o Filho de Sam; Ted Bundy; John Wayne Gacy, o Palhaço Assassino; e Charles Manson, entre outros. Através dessas entrevistas, Douglas desenvolveu um método de análise de perfis criminais que revolucionou a investigação de casos como esses. Agora, o feito de Douglas é contado através do personagem fictício Holden Ford, protagonista de Mindhunter, uma das mais recentes séries disponibilizadas pela Netflix.

A segunda temporada da série foi confirmada antes mesmo de sua estreia.

Mindhunter foi inspirada no livro:

Mindhunter: O Primeiro Caçador de Serial Killers Americano, de John E. Douglas e Mark Olshaker

serie8“Em detalhes assustadores, Mindhunter mostra os bastidores de alguns dos casos mais terríveis, fascinantes e desafiadores do FBI.

Durante as mais de duas décadas em que atuou no FBI, o agente especial John Douglas tornou-se uma figura lendária. Em uma época em que a expressão serial killer, assassino em série, nem existia, Douglas foi um oficial exemplar na aplicação da lei e na perseguição aos mais conhecidos e sádicos homicidas de nosso tempo. Como Jack Crawford em O Silêncio dos Inocentes, Douglas confrontou, entrevistou e estudou dezenas de serial killers e assassinos.

Com uma habilidade fantástica de se colocar no lugar tanto da vítima quando no do criminoso, Douglas analisa cada cena de crime, revivendo as ações de um e de outro, definindo seus perfis, descrevendo seus hábitos e, sobretudo, prevendo seus próximos passos.”


Strike

Baseada na série de livros policiais escrita por J.K. Rowling sob o pseudônimo de Robert Galbraith, Strike segue os casos investigados pelo detetive particular Cormoran Strike. A primeira temporada da série adaptou os dois primeiros livros publicados pela autora, enquanto a segunda, já confirmada para o ano que vem, será baseada no terceiro livro. No entanto, J.K. Rowling confirmou planos para, no mínimo, dez livros. Será que a série acompanhará os planos audaciosos da autora?

A primeira temporada de Strike foi inspirada por:

O Chamado do Cuco e O Bicho-da-Seda, de Robert Galbraith 

serie9“Quando uma modelo problemática morre numa queda de uma sacada da Mayfair coberta de neve, supõe-se que ela tenha cometido suicídio. O irmão, porém, tem suas dúvidas e pede ao detetive Cormoran Strike para rever o caso. Strike é veterano de guerra – ferido física e psicologicamente – e sua vida é uma confusão. A investigação lhe dá um salva-vidas financeiro, mas tem um custo pessoal: quanto mais ele mergulha no complexo mundo da jovem modelo, mais sombrias ficam as coisas – e mais perto ele chega de um perigo terrível. Um mistério emocionante impregnado da atmosfera de Londres – das ruas silenciosas de Mayfair aos pubs entocados do East End e à agitação do Soho.”

serie9.1

“Quando o romancista Owen Quine desaparece, sua esposa apela ao detetive particular Cormoran Strike. No início, ela pensa apenas que o marido se afastou por alguns dias – porque ele já fez isso antes – e quer que Strike o encontre e o traga para casa.

Mas, à medida que Strike investiga, fica claro que há mais no desaparecimento de Quine do que percebe a mulher. O romancista acabara de concluir um manuscrito retratando de forma venenosa quase todos que conhece. Se o romance for publicado, destruirá a vida de muitos. Muita gente, portanto, pode querer silenciá-lo.

Quando Quine é encontrado brutalmente assassinado em circunstâncias bizarras, começa uma corrida contra o tempo para entender a motivação de um assassino impiedoso, um assassino diferente de qualquer outro que Strike já viu.”

The Mist

2017 é o ano das adaptações das obras de Stephen King. It: A Coisa, A Torre Negra, 1922, O Jogo de Gerald, e o Noveiro, além de um novo filme da franquia Colheita Maldita em um curto período demostram tudo que o autor representa para a literatura de horror. No entanto, nem todas as adaptações de suas obras refletem a qualidade de sua escrita. The Mist é um exemplo disso. Por esse motivo a série foi cancelada após sua primeira e única temporada.

The Mist é baseada no conto O Nevoeiro, presente no livro:

Tripulação De Esqueletos

serie10“O livro abre com o conto “O Nevoeiro” no qual numa cidadezinha litorânea um nevoeiro vem do mar trazendo inúmero monstros, como aranhas gigantes, polvos assassinos e aves pré-históricas. Os habitantes do local conseguem abrigo em um supermercado, onde ficam cercados pelo nevoeiro e pelos monstros que tentam a todo o momento devorá-los. A tensão cresce à medida que a possibilidade de fuga vai se extinguindo, pois os monstros matam os que tentam escapar um a um. Outro conto que merece destaque é “Sobrevivente”: um médico-cirurgião é o único sobrevivente de um naufrágio e acaba em uma ilha deserta totalmente estéril. Sem alimento, a única saída para não morrer de fome é se fazer valer de suas habilidades como cirurgião e alimentar-se de pedaços de si mesmo. A narrativa se dá a partir do seu diário que vai, pouco a pouco, revelando o processo de enlouquecimento e do desespero pela sobrevivência.”

Deixe uma resposta